vida ministerial de Pedro

A VIDA MINISTERIAL DE PEDRO

Compartilhe este estudo bíblico

O QUE EXAMINAREMOS NO ESTUDO SOBRE A VIDA MINISTERIAL DE PEDRO?

 

Neste estudo analisaremos os detalhes relacionados a vida ministerial de Pedro, desde sua chamada inicial, perpassando por momentos marcantes e abençoados e por situações difíceis, desse que é considerado um dos maiores discípulos de Cristo. Além disso, examinaremos as lições de vida que Deus, por meio da vida de Pedro, quer que aprendamos e coloquemos em prática. Para iniciarmos, façamos a leitura do texto a seguir:

 

Mateus 16:13-23

 

13-E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?
14-E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.
15-Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?
16-E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.
17-E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.
18-Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;
19-E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.
20-Então mandou aos seus discípulos que a ninguém dissessem que ele era Jesus o Cristo.
21-Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia.
22-E Pedro, tomando-o de parte, começou a repreendê-lo, dizendo: Senhor, tem compaixão de ti; de modo nenhum te acontecerá isso.
23-Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens.

 

Quando lemos esta passagem, levando em conta os detalhes, nos deparamos com duas situações totalmente opostas, relacionadas ao apóstolo Pedro. É impressionante como em um curto espaço de tempo Pedro recebe um maravilhoso elogio profético e uma repreensão assustadora.

 

Esse relato nos mostra o quão volúveis somos, isto é, nossa vida é caracterizada pelas inconstâncias e incertezas. Passamos por momentos de altos e baixos, alegrias e tristezas, crises e bonanças. Essa “gangorra” não ocorre apenas em nossa vida secular, mas, também, em nossa vida ministerial.

 

Neste sentido, temos que aprender a viver em Cristo independentemente das situações em que estejamos enfrentando. Paulo falou exatamente sobre isso. Ele aprendeu a estar contente e conformado em qualquer situação.

 

Filipenses 4:11-13: Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.

Diante do exposto compreendemos que todos os seres humanos passam por crises. A questão, porém, é: como contorná-las?

Essa talvez seja uma das respostas mais procuradas pela humanidade. Não é fácil de ser respondida, mas acredito que ao examinarmos a vida ministerial de Pedro seremos capazes de entendermos a resposta.

 

Vamos partir da máxima que Jesus nos alertou: “no mundo tereis aflições”. Talvez você tenha achado que essa mensagem tenha sido apenas para os apóstolos de Jesus, mas na realidade esse é um alerta geral. É fato que teremos aflições em nossa vida conjugal, no trabalho, na igreja, na escola e em outras esferas de nossa vida.

 

Essa afirmativa, contudo, não é para nos deixarmos tristes, como se nossa vida fosse apenas um mar de aflições. O próprio Jesus ao afirmar isso, também concluiu que por meio dEle venceríamos, não só as aflições, como também o mundo. Em outros versículos observamos esse alento.

 

João 16:33: Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.

 

Romanos 8:37: Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.

 

Salmos 27:14: Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no Senhor.

 

Salmos 30:5: Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.

 

Salmos 37:5: Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará.

Então, amados irmãos, entendamos que independentemente do que estejamos passando, temos que crer no Senhor, sabendo que Ele é capaz de mudar qualquer situação adversa.

 

Lucas 1:37: Porque para Deus nada é impossível.

Além disso, temos que viver por Ele, colocando-o em primeiro lugar em nossas vidas.

 

Mateus 6:33: Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

 

Viver por Ele quer dizer abdicar de nossos desejos e vontades para segui-lo.

 

Lucas 9:23: E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.

 

Gálatas 2:20: Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.

Outra coisa que precisamos compreender é que embora estejamos em crise ou passando por dificuldades, o Senhor não nos desamparará e não nos deixará cair.

 

Salmos 91:7:Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti.

Provérbios 24:16: Porque sete vezes cairá o justo, e se levantará; mas os ímpios tropeçarão no mal.

Temos que compreender que as crises são necessárias para o nosso crescimento. Temos que encará-las como oportunidades para nos redimirmos, reconhecendo nossos erros e pecados. O poder do Senhor se aperfeiçoa em nossa fraqueza.

 

2 Coríntios 12:9: E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.

 

Quando Pedro estava em sua crise espiritual negou a Jesus três vezes. Várias pessoas criticam essa atitude de Pedro, mas esquecem que negam a Jesus todos os dias: negligenciando sua obra, priorizando outras coisas em suas vidas, não pregando a mensagem de salvação e não vivendo uma vida de santidade.

 

O PERCURSO MINISTERIAL DO APÓSTOLO PEDRO

 

Para entendermos melhor sobre o ministério de Pedro, bem como seus altos e baixos, vamos separar, em ordem cronológica, alguns dos momentos importantes:

 

Encontro de Pedro com Jesus

 

O encontro de Pedro com Jesus se deu por meio de André, seu irmão. Este ouviu de João Batista que Jesus era o salvador do mundo e por isso eles deveriam o seguir. Neste encontro, Jesus muda o nome de Simão para Cefas, que em aramaico quer dizer rocha ou pedra, assim como Pedro, que em grego quer dizer o mesmo.

 

João 1:42: E levou-o a Jesus. E, olhando Jesus para ele, disse: Tu és Simão, filho de Jonas; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro).

 

Assim como Pedro foi ao encontro de Jesus por meio de uma chamada, nós devemos ir ter um encontro com Jesus e obedecer a essa chamada. Jesus chama a todos nós para termos uma mudança de vida.

 

Quando os cansados e oprimidos encontram-se com Jesus são aliviados das suas aflições.

 

Mateus 11:28: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.

 

Os que estão com fome e sede serão saciados.

 

João 6:35: E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede.

 

Os que estão na escuridão encontram a luz.

 

João 8:12: Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.

 

Mas não esqueçamos que esse encontro ocorrerá não porque você ou eu o escolhemos. Muito pelo contrário, Ele já nos escolheu.

 

João 15:16: Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda.

 

A chamada ministerial de Pedro

Em um certo dia, Jesus pregava para a multidão as margens do lago de Genesaré. A multidão o apertava e por isso resolveu subir no barco de Simão Pedro. Depois de ensinar, resolveu pedir a Pedro que afastasse o barco para as águas mais fundas, saindo um pouco da margem para poderem descer as redes e pescar. Pedro avisou ao Senhor que já haviam passado a noite pescando, mas não tinham tido êxito, contudo iria obedecê-lo, seguindo sua palavra.

 

João 14:15: Se me amais, guardai os meus mandamentos.

 

Essa atitude demonstrou que realmente ele já considerava Jesus como seu Senhor.

 

Lucas 6:46: E por que me chamais, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo?

 

Quando Pedro e seus ajudantes puxaram as redes ficaram surpresos com a quantidade de peixes que pegaram. A quantidade era tanta que foi necessário chamarem o outro barco para poderem despejar os peixes. Esse é o resultado de quem obedece ao Senhor.

 

Depois de contemplar esse milagre, Pedro declarou ser indigno da presença de Jesus, pois era pecador. Neste momento o Senhor disse que Pedro seria agora pescador de homens. Este foi o marco inicial do ministério de Pedro.

 

Lucas 5:10: E, de igual modo, também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. E disse Jesus a Simão: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens.

Pedro andando sobre as águas

 

Depois do milagre de multiplicação de pães e peixes Jesus ordenou que os discípulos fossem de barco adiante. Enquanto eles saíram de barco, Jesus se despedia da multidão e depois subiu ao monte para orar sozinho.

 

Enquanto isso, os discípulos seguiram para o mar, que açoitava o barco com as ondas causadas pelo vento contrário. Eis que à quarta vigília da noite, Jesus vinha sobre o mar em direção a navegação. Os que o avistaram ficaram atemorizados por não saberem o que estava andando sobre as águas.

 

Foi então que Jesus se pronunciou pedindo para que não temessem. Pedro, porém, indagou com uma pergunta inusitada: “se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas”. Jesus assim o fez.

 

Essa atitude de Pedro demonstrava seu lado intrépido, corajoso e cheio de fé. Mas, logo oscilou, temendo o vento forte e, por isso começou a afundar. Mais uma vez temos uma representação de nossas vidas volúveis, ora estamos cheios de fé e ora quase sem ela.

 

Pedro confessa que deseja continuar seguindo Jesus

Depois de um discurso recheado de palavras duras da parte de Jesus, muitos dos que se diziam seus seguidores, saíram da presença do Messias e dos discípulos. Foi então que o mestre perguntou aos seus se eles também não gostariam de se retirar.

 

Pedro, mais uma vez toma a frente e se pronuncia com uma pergunta que todos nós deveríamos fazer quando pensássemos em abandonar a fé, em largar nossa carreira cristã. Pedro perguntou: “para onde iremos nós, se só o Senhor tem as palavras de vida eterna?”

 

Essa é uma pergunta que não precisa de respostas complexas, pois não existe um outro caminho que nos conduza a salvação que não seja por meio de Jesus, pois Ele é o caminho, a verdade e a vida (João 14:6).

 

Pedro é elogiado e repreendido

 

Jesus perguntou aos discípulos o que as pessoas falavam sobre Ele. Responderam que uns diziam que Ele era Elias, outros, que era Jeremias ou João Batista. Quando Jesus perguntou-lhes a mesma coisa, Pedro disse que Jesus era o Cristo, filho de Deus. Jesus respondeu dizendo que Pedro falou por Deus.

 

No entanto, quando o mestre falou sobre o que era necessário ocorrer, no que diz respeito a sua perseguição e morte, Pedro se manifestou o admoestando e afirmando que isso não iria lhe acontecer. Foi neste momento que Jesus repreendeu a Pedro dizendo: “Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens”.

 

Apesar de parecer que Jesus foi bastante duro com Pedro, isso mostra o quanto uma pessoa pode cometer erros por meio de palavras e ações, exatamente por causa da falta de conhecimento das escrituras. Infelizmente, muitos líderes ou pregadores da palavra estão cometendo vários erros por causa da sua própria interpretação acerca das escrituras.

 

Pedro demonstra alegria no dia da transfiguração

 

Em um certo dia Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João e os levou em particular para um monte. Lá, Jesus transfigurou-se diante deles. Suas vestes se tornaram muito brancas, alvas de forma que ninguém havia contemplado. Esse momento para Pedro deve ter sido extraordinário, pois foi um momento do qual ninguém até então havia feito parte.

 

A alegria de Pedro estava misturada com uma sensação de assombro, pois diante dele estavam dois dos grandes profetas que ele conhecia pelas escrituras. A bíblia diz que Pedro não sabia o que dizer e a única coisa que conseguiu falar foi sobre a necessidade se se construir uma tenda para Jesus, Moisés e Elias.

 

Alguns momentos sobrenaturais que vivenciamos com Jesus também nos faz ficar atônitos. Isso porque são maravilhas que não são possíveis de serem contadas apenas com palavras. É necessário vivenciarmos esses momentos para compreendermos a alegria que Pedro sentiu.

 

Pedro foi arrogante no lava pés

 

Antes da festa de Páscoa, depois da santa ceia, Jesus, já sabendo que iria morrer na cruz por amor de nós, decidiu lavar os pés dos discípulos, como gesto de humildade. O mestre lavou e enxugou os pés de cada um dos seus discípulos. Contudo, quando chegou a vez de Pedro, este se recusou a ter os pés lavados pelo Senhor. Ele exclamou: “Nunca tu lavarás os meus pés”.   Jesus, então, respondeu: “se eu te não lavar, não tens parte comigo”. Só depois disso Pedro compreendeu o mistério e por isso falou: “Senhor, não só os meus pés, mas também as mãos e a cabeça”.

 

Pedro foi tímido na santa ceia

 

Durante a Santa Ceia Jesus afirmou que dentre os que estavam naquele recinto estaria o seu traidor, aquele que o entregaria nas mãos dos seus perseguidores. Neste momento, aquele Pedro que não tinha medo, receio ou vergonha de ser o primeiro a se manifestar, não teve coragem de perguntar diretamente quem seria aquele que trairia a Jesus, por isso pediu para que perguntassem ao mestre.

 

Pedro afirma que morreria por Cristo

 

Pedro, ainda sem compreender o mistério da crucificação, queria saber para onde o mestre iria. Jesus explicou que para onde ele iria, nem Pedro e nem os outros poderiam ir. Pedro insistiu que queria acompanhá-lo para onde quer que ele fosse e se necessário fosse até morreria por Jesus. Foi neste momento que o mestre afirmou que Pedro não poderia dizer tal coisa, pois ele mesmo, antes que o galo cantasse, iria negar Jesus por três vezes.

 

Jesus chama Pedro e os discípulos para orar, mas eles dormem

 

Jesus, pouco antes da crucificação, estava muito triste e temendo pelo que iria ocorrer com ele, por isso chamou os discípulos para orarem no Getsêmani. Pediu para Pedro, Tiago e João o acompanharem para um local mais isolado. Jesus clamava ao pai dizendo: “Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres”. Ao retornar, o mestre encontra seus acompanhantes dormindo e por isso disse a Pedro: “Então nem uma hora pudeste velar comigo?”

 

Depois desse momento, os perseguidores de Jesus, juntamente com os soldados romanos apareceram e o levaram. A partir daí observaremos algumas atitudes de Pedro que são importantes para refletirmos neste estudo.

 

Pedro corta a orelha do soldado, na tentativa de defender Jesus;

Segue o mestre apenas de longe;

Nega a Jesus três vezes e depois fica triste, porque lembra das palavras de Jesus;

Confessa triplamente a Jesus que o ama depois observa o pedido de apascentar as ovelhas do Senhor;

Recebe o Espírito Santo e faz a pregação no Pentecostes, quando muitas almas confessaram a Jesus;

Afirma ser a pedra que Jesus disse que ele seria.

 

Observem que mesmo cometendo erros e caindo diante de suas fragilidades, Pedro é revestido pelo Espírito Santo de Deus e termina sua carreira fazendo a vontade de Jesus.

 

CONCLUSÃO

 

Neste estudo sobre a vida ministerial de Pedro compreendemos que apesar de nossas idas e vindas, erros e acertos, quedas e levantadas, momentos bons e ruins, nunca deveremos perder o alvo que é Jesus. Ele é a nossa rocha, nossa fortaleza em todos os momentos de nossas vidas. Devemos compreender que somos dependentes de Deus, não somos autossuficientes, por isso é necessário reconhecer nossa fragilidade e colocar nossa vida nas mãos do Senhor, para que na gangorra da vida tenhamos mais altos do que baixos e terminemos nossa carreira guardando a nossa fé.

 

Se você quer examinar a bíblia por meio de estudos como esse, acesse a home de nosso site aqui.

 

Que Deus te abençoe!

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *