carta de paulo a filemom

ESTUDO SOBRE A CARTA DE PAULO A FILEMOM

Compartilhe este estudo bíblico

O QUE VEREMOS NO ESTUDO SOBRE A CARTA DE PAULO A FILEMOM 

Este estudo aborda a carta de Paulo a Filemom, seu amigo. Discorreremos sobre o conteúdo desta carta, que gira entorno do apelo de Paulo para que Onésimo pudesse ser perdoado por sua transgressão, visto que ele se tornara uma nova criatura em Cristo Jesus. Além disso, veremos muitas lições que Paulo nos ensina por meio do conteúdo da carta. O texto é:

TEXTO:  Filemom 1:1-25

1 Paulo, prisioneiro de Jesus Cristo, e o irmão Timóteo, ao amado Filemom, nosso cooperador,
2 E à nossa amada Áfia, e a Arquipo, nosso camarada, e à igreja que está em tua casa:
3 Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
4 Graças dou ao meu Deus, lembrando-me sempre de ti nas minhas orações;
5 Ouvindo do teu amor e da fé que tens para com o Senhor Jesus Cristo, e para com todos os santos;
6 Para que a comunicação da tua fé seja eficaz no conhecimento de todo o bem que em vós há por Cristo Jesus.
7 Porque temos grande gozo e consolação do teu amor, porque por ti, ó irmão, as entranhas dos santos foram recreadas.
8 Por isso, ainda que tenha em Cristo grande confiança para te mandar o que te convém,
9 Todavia peço-te antes por amor, sendo eu tal como sou, Paulo o velho, e também agora prisioneiro de Jesus Cristo.
10 Peço-te por meu filho Onésimo, que gerei nas minhas prisões;
11 O qual noutro tempo te foi inútil, mas agora a ti e a mim muito útil; eu to tornei a enviar.
12 E tu torna a recebê-lo como às minhas entranhas.
13 Eu bem o quisera conservar comigo, para que por ti me servisse nas prisões do evangelho;
14 Mas nada quis fazer sem o teu parecer, para que o teu benefício não fosse como por força, mas, voluntário.
15 Porque bem pode ser que ele se tenha separado de ti por algum tempo, para que o retivesses para sempre,
16 Não já como servo, antes, mais do que servo, como irmão amado, particularmente de mim, e quanto mais de ti, assim na carne como no Senhor?
17 Assim, pois, se me tens por companheiro, recebe-o como a mim mesmo.
18 E, se te fez algum dano, ou te deve alguma coisa, põe isso à minha conta.
19 Eu, Paulo, de minha própria mão o escrevi; eu o pagarei, para te não dizer que ainda mesmo a ti próprio a mim te deves.
20 Sim, irmão, eu me regozijarei de ti no Senhor; recreia as minhas entranhas no Senhor.
21 Escrevi-te confiado na tua obediência, sabendo que ainda farás mais do que digo.
22 E juntamente prepara-me também pousada, porque espero que pelas vossas orações vos hei de ser concedido.
23 Saúdam-te Epafras, meu companheiro de prisão por Cristo Jesus,
24 Marcos, Aristarco, Demas e Lucas, meus cooperadores.
25 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com o vosso espírito. Amém.
 

A carta de Paulo a Filemom, consiste na carta mais breve escrita por Paulo e apresenta um conteúdo de caráter bem pessoal. Por ser a mais curta, não pode, por isto, ser considerada a menos importante.

Infelizmente, seu conteúdo foi questionado pelos crentes das primeiras décadas depois de Cristo. Muitos afirmavam que ela não exibia assuntos importantes. No entanto, hoje muitos cristãos, os verdadeiros, conseguem discernir a importância dos textos apresentados nesta carta. Também compreendem que esta apresenta inspiração e autoridade divina.
Vamos examinar agora os versículos desta carta.

1 Paulo, prisioneiro de Jesus Cristo, e o irmão Timóteo, ao amado Filemom, nosso cooperador. 

Logo no primeiro versículo da carta de Paulo a Filemom, é possível identificarmos sua autoria, além da colaboração de Timóteo. Timóteo sempre esteve disposto a colaborar com Paulo, de preferência, de forma presencial. Essa parceria prosseguiu desde a fundação da igreja em Corinto.

Foi escrita enquanto o apóstolo estava em uma prisão romana (Cesareia ou Éfeso), onde passou cerca de dois anos.

Atos 28:30: E Paulo ficou dois anos inteiros na sua própria habitação que alugara, e recebia todos quantos vinham vê-lo. 

Ele usa as expressões: “prisioneiro de Cristo”; “Onésimo, que gerei entre algemas”; “Epafras, prisioneiro comigo, em Cristo Jesus”.

Efésios 3:1: Por esta causa eu, Paulo, sou o prisioneiro de Jesus Cristo por vós, os gentios. 

2 Timóteo 1:8: Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus. 

Filipenses 2:25: Julguei, contudo, necessário mandar-vos Epafrodito, meu irmão e cooperador, e companheiro nos combates, e vosso enviado para prover às minhas necessidades. 

2 E à nossa amada Áfia, e a Arquipo, nosso camarada, e à igreja que está em tua casa: 

Filemom, era da cidade de Colosso e mantinha uma igreja na sua própria casa. Ele era um cristão rico e tinha um escravo chamado Onésimo. Era provável que Áfia fosse a esposa de Filemom e Arquipo, o filho dos dois. Arquipo possuía um cargo de importância, na igreja de Colossos ou em alguma nas vizinhanças de Laodicéia.

Colossenses 4:17: E dizei a Arquipo: Atenta para o ministério que recebeste no Senhor, para que o cumpras. 

Se examinarmos a escrita da carta de Paulo a Filemom, perceberemos que existe um direcionamento não só para Filemom, como também para as pessoas que faziam parte desta igreja em sua casa. É possível compreender que Filemom disponibilizava sua casa, em Colossos, para que fossem realizados cultos ao Senhor. Isso era uma prática recorrente nesse período registrado no novo testamento.

1 Coríntios 16:19: As igrejas da Ásia vos saúdam. Saúdam-vos afetuosamente no Senhor áqüila e Priscila, com a igreja que está em sua casa. 

Colossenses 4:15: Saudai aos irmãos que estão em Laodicéia e a Ninfa e à igreja que está em sua casa. 

Romanos 16:5: Saudai também a igreja que está em sua casa. Saudai a Epêneto, meu amado, que é as primícias da Acáia em Cristo. 

Filipenses 2:25: Julguei, contudo, necessário mandar-vos Epafrodito, meu irmão e cooperador, e companheiro nos combates, e vosso enviado para prover às minhas necessidades. 

Só a partir do século III é que começamos a observar a escrita se referindo às igrejas ou casas de orações. 

3 Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. 

Era uma saudação característica de Paulo.

Romanos 1:7: A todos os que estais em Roma, amados de Deus, chamados santos: Graça e paz de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. 

Efésios 1:2: A vós graça, e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo!

4 Graças dou ao meu Deus, lembrando-me sempre de ti nas minhas orações; 

Não só na carta de Paulo a Filemom vemos seu ensino a respeito da necessidade de todo cristão dar graças a Deus, por tudo. Além disso, ele ressaltava a necessidade dos crentes de orarem uns pelos outros. Ele sempre orava pelos seus irmãos.

2 Tessalonicenses 1:3: Sempre devemos, irmãos, dar graças a Deus por vós, como é justo, porque a vossa fé cresce muitíssimo e o amor de cada um de vós aumenta de uns para com os outros.

Efésios 1:16: Não cesso de dar graças a Deus por vós, lembrando-me de vós nas minhas orações. 

1 Timóteo 1:2: A Timóteo meu verdadeiro filho na fé: Graça, misericórdia e paz da parte de Deus nosso Pai, e da de Cristo Jesus, nosso Senhor. 

5 Ouvindo do teu amor e da fé que tens para com o Senhor Jesus Cristo, e para com todos os santos; 

Paulos não só confiava nos irmãos que aprenderam com ele, como sabia que estes tinham o amor verdadeiro para com o Senhor Jesus e seus irmãos na fé.

Efésios 1:15: Por isso, ouvindo eu também a fé que entre vós há no Senhor Jesus, e o vosso amor para com todos os santos.

Colossenses 1:4: Porquanto ouvimos da vossa fé em Cristo Jesus, e do amor que tendes para com todos os santos.

6 Para que a comunicação da tua fé seja eficaz no conhecimento de todo o bem que em vós há por Cristo Jesus.

Paulo não queria que os irmãos fossem alienados ou seguidores cegos de uma religião. Pelo contrário, sempre desejou que o crescimento de cada um fosse pautado no conhecimento, para que assim fossem gerados frutos.

Filipenses 1:9: E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento.

 Filipenses 1:11: Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus. 

7 Porque temos grande gozo e consolação do teu amor, porque por ti, ó irmão, as entranhas dos santos foram recreadas. 

Além de tantas outras virtudes, Paulo sabia reconhecer a ajuda e o apoio dados pelos irmãos.


2 Coríntios 7:13
: Por isso fomos consolados pela vossa consolação, e muito mais nos alegramos pela alegria de Tito, porque o seu espírito foi recreado por vós todos. 

2 Timóteo 1:16: O Senhor conceda misericórdia à casa de Onesíforo, porque muitas vezes me recreou, e não se envergonhou das minhas cadeias.

8 Por isso, ainda que tenha em Cristo grande confiança para te mandar o que te convém. 9 Todavia peço-te antes por amor, sendo eu tal como sou, Paulo o velho, e também agora prisioneiro de Jesus Cristo. 

Mais uma vez Paulo demonstra que espera em Cristo, mas também deposita, nos irmãos, a confiança mediante as necessidades. Essa confiança em Cristo é ressaltada na expressão “prisioneiro de Jesus Cristo”.

Filemom 1:1: Paulo, prisioneiro de Jesus Cristo, e o irmão Timóteo, ao amado Filemom, nosso cooperador.

10 Peço-te por meu filho Onésimo, que gerei nas minhas prisões. 

Não sabemos como Onésimo chegou até Paulo, que estava em Roma. Parece que esse encontro ocorreu depois da fuga da casa de Filemom, depois de alguma coisa que Onésimo, supostamente, tenha feito de errado. Paulo considerava Onésimo como um filho, porque este havia se convertido à Cristo por meio de sua pregação. Esse sentimento ele demonstrava a todos que foram convertidos por intermédio de suas pregações.

1 Coríntios 4:15: Porque ainda que tivésseis dez mil aios em Cristo, não teríeis, contudo, muitos pais; porque eu pelo evangelho vos gerei em Jesus Cristo. 

Gálatas 4:19: Meus filhinhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até que Cristo seja formado em vós.

Colossenses 4:9: Juntamente com Onésimo, amado e fiel irmão, que é dos vossos; eles vos farão saber tudo o que por aqui se passa. 

Lendo a carta de Paulo a Filemom é possível entender que Paulo está intercedendo por Onésimo, que estava fugindo de seu senhor. Algum motivo levou a essa atitude. Não está claro, mas parece se tratar de alguma coisa errada que Onésimo tenha feito, como um furto ou prejuízo causado a Filemom. O certo é que todos erramos, por isso não devemos julgar, mas sim, orar e interceder uns pelos outros. 

Efésios 6:18: Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos.

11 O qual noutro tempo te foi inútil, mas agora a ti e a mim muito útil; eu to tornei a enviar.

Neste versículo Paulo faz uso de um jogo de palavras com o significado do nome Onésimo, que quer dizer útil. Este nome era bem frequente nos escravos daquela época.

Filemom, era amigo e filho na fé de Paulo. Os dois possuíam um laço de amizade e confiança. Paulo até diz que pagaria qualquer dívida deixada por Onésimo. Vale ressaltar que a pena para escravo fugitivo, naquela época, era de morte. Por isso que Paulo estava tão preocupado em escrever de próprio punho para seu amigo.

Além de querer que houvesse perdão da parte de Filemom, Paulo queria mostrar que Onésimo era, agora, uma nova criatura e que não era inútil como antes, mas sim útil para o evangelho.

2 Coríntios 5:17: Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.

12 E tu torna a recebê-lo como às minhas entranhas.

Quando Paulo devolve Onésimo, escravo de Filemom, ele está cumprindo a lei romana da época, mesmo sabendo que esta mesma lei permitisse que o dono do escravo fugido pudesse castigá-lo pela fuga. Este castigo poderia ser realizado da forma que o dono considerasse justa, seja com chicotadas ou com a morte.

O interessante é que mesmo com a premissa de considerar todos como iguais perante Deus, não se vê menção ao combate a abolição da escravidão. Isso seria mais uma coisa que serviria como desculpa para se perseguir a igreja. Então, Paulo apenas instruía para que os donos de escravos tratassem os seus de forma humanitária, pois agora tinham a compreensão do que era certo e errado perante o Senhor.

13 Eu bem o quisera conservar comigo, para que por ti me servisse nas prisões do evangelho. 

Onésimo havia servido a Paulo durante o período que ele estava na prisão, por isso desejava conservá-lo ao seu lado, como colaborador. Percebemos um tom no pedido de Paulo, para que, se possível, Filemom permitisse essa colaboração. Como Paulo tinha um trabalho muito árduo, a ajuda dos irmãos o aliviava.

1 Coríntios 16:17: Folgo, porém, com a vinda de Estéfanas, de Fortunato e de Acaico; porque estes supriram o que da vossa parte me faltava.

Filipenses 2:30: Porque pela obra de Cristo chegou até bem próximo da morte, não fazendo caso da vida para suprir para comigo a falta do vosso serviço.

14 Mas nada quis fazer sem o teu parecer, para que o teu benefício não fosse como por força, mas, voluntário. 

Paulo sempre ensinou que tudo deveria ser feito de forma voluntária, não por pressão ou a força.

2 Coríntios 9:7: Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.

Assim também deveria ser a libertação de Onésimo, pelo seu senhor Filemom. Caso este tivesse entendimento sobre o amor fraterno para com seu irmão, com certeza o libertaria.

15 Porque bem pode ser que ele se tenha separado de ti por algum tempo, para que o retivesses para sempre.

Paulo acreditava que tudo tinha tempo certo para acontecer, tudo estava sob o controle de Deus. Por isso cria que era propósito de Deus que Onésimo ficasse um tempo afastado do seu senhor para conhecer o verdadeiro Senhor. Agora, em seu retorno, Onésimo seria de grande valia para Filemom. Podemos ver essa providência de Deus no exemplo de José, que preferiu acreditar que o que aconteceu com ele era obra de Deus, para que todos pudessem ter livramento, durante o período de fome e seca.

Gênesis 45:7: Pelo que Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra, e para guardar-vos em vida por um grande livramento.

16 Não já como servo, antes, mais do que servo, como irmão amado, particularmente de mim, e quanto mais de ti, assim na carne como no Senhor? 

A escravidão era uma ação antagônica ao que era defendido por Paulo, portanto esta prática não deveria mais existir entre os crentes, que agora já conheciam o amor e a fraternidade. Paulo diz que Onésimo não mais agora deve ser tratado como escravo, já que ele se tornou uma nova criatura, aceitando a Jesus como seu salvador. Então, Onésimo não seria mais servo, mas sim, um irmão. Contudo, Onésimo não deveria desprezar seu senhor, mas tratá-lo ainda melhor.

1 Timóteo 6:2: E os que têm senhores crentes não os desprezem, por serem irmãos; antes os sirvam melhor, porque eles, que participam do benefício, são crentes e amados. Isto ensina e exorta.

A expressão “na carne”, utilizada por Paulo, se refere aos relacionamentos além da espera espiritual ou religiosa. O tratamento a Onésimo deveria ser diferenciado também na vida comum.

Mateus 23:8: Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi, porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, e todos vós sois irmãos. 

Colossenses 3:22: Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus. 

17 Assim, pois, se me tens por companheiro, recebe-o como a mim mesmo. 

Paulo tinha tanta confiança em seus irmãos e colaboradores que quando os enviava, pedia para o anfitrião receber a qualquer um como se estivesse recebendo o próprio apóstolo Paulo. Isso também consistia em uma forma de ensinamento, mostrando que todos devem ser bem tratados e que não deve haver acepção entre os cristãos.

2 Coríntios 8:23,24: Quanto a Tito, é meu companheiro, e cooperador para convosco; quanto a nossos irmãos, são embaixadores das igrejas e glória de Cristo. Portanto, mostrai para com eles, e perante a face das igrejas, a prova do vosso amor, e da nossa glória acerca de vós.

18 E, se te fez algum dano, ou te deve alguma coisa, põe isso à minha conta.
 

É provável que Onésimo tenha cometido algum delito contra Filemom. Imagina-se que tenha sido algum furto, que o impulsiona a fugir. Paulo, porém, se mostrou disposto a pagar qualquer que tenha sido o prejuízo causado por Onésimo à Filemom. Contudo, o mesmo Paulo ressalta que Filemom poderia ter alguma dívida para com Paulo. Entende-se que esta dívida seja relacionada às questões morais ou espirituais, principalmente por ter sido Filemom convertido por meio da pregação de Paulo.

19 Eu, Paulo, de minha própria mão o escrevi; eu o pagarei, para te não dizer que ainda mesmo a ti próprio a mim te deves.

Nesta carta de Paulo a Filemom, vemos sua auto apresentação. Era uma característica dele de dar ênfase a autoria de sua carta. Além disso, quando era algo mais pessoal ou sério, ele fazia questão de ressaltar a escrita por ele mesmo.

1 Coríntios 16:21: Saudação da minha própria mão, de Paulo.

20 Sim, irmão, eu me regozijarei de ti no Senhor; recreia as minhas entranhas no Senhor.

Paulo pede a filemom o mesmo consolo que este dava aos outros irmãos, como vemos no próprio versículo 7: Porque temos grande gozo e consolação do teu amor, porque por ti, ó irmão, as entranhas dos santos foram recreadas.

21 Escrevi-te confiado na tua obediência, sabendo que ainda farás mais do que digo.

É interessante destacar que Paulo, em nenhum momento, obriga Filemom a fazer algo. Não percebemos essa obrigação para com a tutela do escravo Onésimo, nem que este deva ser livre ou não receba o castigo. Paulo orienta, mas sempre deixa nas mãos de Filemom, a decisão final. Ele fazia isso porque sempre depositava confiança nos irmãos. 

2 Coríntios 7:16: Regozijo-me de em tudo poder confiar em vós.

22 E juntamente prepara-me também pousada, porque espero que pelas vossas orações vos hei de ser concedido.

A esperança de Paulo é que ele pudesse ficar em liberdade para visitar Filemom e conversar pessoalmente.

Filipenses 1:25: E, tendo esta confiança, sei que ficarei, e permanecerei com todos vós para proveito vosso e gozo da fé. 

2 Coríntios 1:11: Ajudando-nos também vós com orações por nós, para que pela mercê, que por muitas pessoas nos foi feita, por muitas também sejam dadas graças a nosso respeito.

23 Saúdam-te Epafras, meu companheiro de prisão por Cristo Jesus. 

Paulo considerava Epafras como fiel companheiro e um exemplar ministro de Cristo.

Colossenses 1:7: Como aprendestes de Epafras, nosso amado conservo, que para vós é um fiel ministro de Cristo. 

Colossenses 4:12: Saúda-vos Epafras, que é dos vossos, servo de Cristo, combatendo sempre por vós em orações, para que vos conserveis firmes, perfeitos e consumados em toda a vontade de Deus.

24 Marcos, Aristarco, Demas e Lucas, meus cooperadores. 

As pessoas que estavam presas, juntamente com Paulo, também enviavam saudações à Filemom. Vemos isso também em:

Colossenses 4:10-14: Aristarco, que está preso comigo, vos saúda, e Marcos, o sobrinho de Barnabé, acerca do qual já recebestes mandamentos; se ele for ter convosco, recebei-o; E Jesus, chamado Justo; os quais são da circuncisão; são estes unicamente os meus cooperadores no reino de Deus; e para mim têm sido consolação. Saúda-vos Epafras, que é dos vossos, servo de Cristo, combatendo sempre por vós em orações, para que vos conserveis firmes, perfeitos e consumados em toda a vontade de Deus. Pois eu lhe dou testemunho de que tem grande zelo por vós, e pelos que estão em Laodicéia, e pelos que estão em Hierápolis. Saúda-vos Lucas, o médico amado, e Demas. 

Atos 19:29: E encheu-se de confusão toda a cidade e, unânimes, correram ao teatro, arrebatando a Gaio e a Aristarco, macedônios, companheiros de Paulo na viagem. 

2 Timóteo 4:11: Só Lucas está comigo. Toma Marcos, e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério.

25 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com o vosso espírito. Amém.

Assim como o cumprimento inicial, era característico de Paulo usar essa saudação final.

2 Timóteo 4:22: O Senhor Jesus Cristo seja com o teu espírito. A graça seja convosco. Amém.

CONCLUSÃO

Por meio do exame da carta de Paulo a Filemom, podemos entender muitas coisas. Uma delas é que devemos aprender a perdoar. Necessitamos compreender que todos merecem uma chance, qualquer um pode mudar sua vida por completo se aceitar de coração o Espírito Santo de Deus.

Além disso, Paulo ensina que devemos ter unidade entre irmãos. Que não haja contendas, mas amor, compaixão e solidariedade.  Um dia fomos perdoados dos nossos pecados. Por que não perdoar nosso irmão? A salvação pode vir para qualquer um, seja escravo ou Senhor. Independe de classe social, independe de poder aquisitivo. Depende apenas de minha fé depositada no salvador Jesus Cristo de Nazaré. Portanto, saibamos perdoar:

Lucas 6:37: Não julguem e vocês não serão julgados. Não condenem e não serão condenados. Perdoem e serão perdoados. 

Efésios 4:32: Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo. 

Mateus 6:14-15: Pois, se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também perdoará vocês. Mas, se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não perdoará as ofensas de vocês.

Se fizermos uma comparação entre o propósito do que está escrito nesta carta e o plano da salvação, entenderemos que nós é que somos Onésimo, pecadores, transgressores e que mereceríamos a morte (Romanos 6:23). Em nós não há justiça alguma (Romanos 3:10 Como está escrito: “Não há nenhum justo, nem ao menos um).

Paulo intercede pelo escravo, assim como cristo por cada um de nós, pecadores arrependidos. Paulo livra Onésimo da morte oferecendo seu próprio nome como garantia. Portanto, Cristo morreu por nós, mesmo sendo pecadores e sem merecimento algum. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores (Romanos 5:8).

Nunca é tarde para se arrepender, nunca é tardio para se perdoar. Devemos sempre lembrar que antes éramos inúteis, mas agora, em Cristo Jesus, como novas criaturas, somos úteis para o evangelho e mais que vencedores naquele que nos amou.

Espero que esse estudo sobre a carta de Paulo a Filemom tenha sido útil para seu crescimento espiritual. Que Deus te abençoe!

Para mais estudos como o da carta de Paulo a Filemom, acesse a home do nosso site, aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *