ELIAS E A PEQUENA NUVEM

ELIAS E A PEQUENA NUVEM

Compartilhe este estudo bíblico

O QUE VEREMOS NESTE ESTUDO SOBRE ELIAS E A PEQUENA NUVEM 

No estudo sobre Elias e a pequena nuvem examinaremos alguns detalhes entorno do milagre que aconteceu diante de tanta gente que não tinha mais fé no Deus altíssimo. Veremos o agir do Senhor mediante a fé poderosa de Elias, o profeta. Compreenderemos que é necessário observarmos alguns requisitos para que nossa oração possa ser atendida. Para começar nosso estudo sobre Elias e a pequena nuvem, vamos ler o seguinte texto:

TEXTO: 1Reis 18:41-46

41 Então disse Elias a Acabe: Sobe, come e bebe, porque há ruído de uma abundante chuva.
42 E Acabe subiu a comer e a beber; mas Elias subiu ao cume do Carmelo, e se inclinou por terra, e pôs o seu rosto entre os seus joelhos.
43 E disse ao seu servo: Sobe agora, e olha para o lado do mar. E subiu, e olhou, e disse: Não há nada. Então disse ele: Volta lá sete vezes.
44 E sucedeu que, à sétima vez, disse: Eis aqui uma pequena nuvem, como a mão de um homem, subindo do mar. Então disse ele: Sobe, e dize a Acabe: Aparelha o teu carro, e desce, para que a chuva não te impeça.
45 E sucedeu que, entretanto, os céus se enegreceram com nuvens e vento, e veio uma grande chuva; e Acabe subiu ao carro, e foi para Jizreel.
46 E a mão do Senhor estava sobre Elias, o qual cingiu os lombos, e veio correndo perante Acabe, até à entrada de Jizreel.
 

Este estudo sobre Elias e a pequena nuvem será realizado mediante a análise de cada versículo que acabamos de ler. Então vamos examiná-los. 

41 Então disse Elias a Acabe: Sobe, come e bebe, porque há ruído de uma abundante chuva. 

Acabe reinou a Israel por 22 anos. Seu reinado se iniciou depois da morte de Onri, seu pai. Acabe levou o povo de Deus a transgredir e pecar mais do que qualquer outro rei que já havia governado a Israel. Por causa de suas escolhas, sua idolatria e seu comportamento, desagradou a Deus. O Senhor se irritou com suas práticas de modo que sua ira se acendeu contra o povo de Israel.

Até então, Salomão tinha sido o último rei de Israel, verdadeiramente temente a Deus. Embora Salomão tenha abandonado os caminhos do Senhor, ele se arrependeu e compreendeu que havia feito muitas coisas erradas. Após sua morte, Israel foi dividida e os Reis após ele levaram o povo do Senhor a adorar a outros Deuses.

Após Elias destruir os 450 profetas de Baal, ainda tinha que pedir ao Senhor para sanar o problema das secas. Como existiam poucos poços com água, os animais estavam morrendo. A terra estava muito árida e seca, nada crescia sobre ela. Fazendo uma analogia com nossa vida, é desta forma que ocorre quando o pecado se torna uma prática do cristão. Se o pecado está presente na vida de um cristão, este acaba secando espiritualmente. Além disso, nada de bom cresce, por isso há morte.

Romanos 6:23: Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor. 

A falta de chuvas simboliza a falta de bênçãos daqueles que não mais estão sob a vontade e direcionamento de Deus. Mas, sabemos que o pecado pode ser banido de nossas vidas, pois existe um que assim pode fazer.

João 1:29: No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

Atos 3:19: Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor.


42 E Acabe subiu a comer e a beber; mas Elias subiu ao cume do Carmelo, e se inclinou por terra, e pôs o seu rosto entre os seus joelhos. 

No novo testamento observamos as citações e referências a essa forma de oração de Elias, onde se coloca prostrado e com o rosto entre os joelhos. Esse gesto mostra o quão importante é uma oração perseverante. O povo de Deus deve entender que a oração tem um poder inigualável.

Tiago 5:17,18: E orou outra vez, e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto. 

João 14:13: E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. 

Mateus 21:22: E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis. 

Mateus 7:7: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. 

Analisando este estudo sobre Elias e a pequena nuvem, começaremos a compreender algumas coisas importantes. Uma delas é que precisamos estar bem com o Senhor para que nossa oração seja atendida. Também é necessário entendermos algo sobre a oração de Elias. Ele era um homem justo e a oração de um justo apresenta grande valor:

Salmos 66:18: Se eu atender à iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá. 

Tiago 5:16: Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.

Não é só porque Elias era um profeta de Deus que tinha suas orações atendidas. Ele era ser humano como qualquer um de nós. Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra.

Tiago 5:17: Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra. 

Quando uma oração é sincera e persistente, apresenta grande poder e eficácia.

Marcos 9:23: E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê. 

Lucas 18:1: E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer. 

Efésios 6:16: Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. 

Hebreus 11:6: Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.

43 E disse ao seu servo: Sobe agora, e olha para o lado do mar. E subiu, e olhou, e disse: Não há nada. Então disse ele: Volta lá sete vezes. 

O mar que é falado neste versículo é o Mediterrâneo, que poderia ser avistado de cima do Monte Carmelo. Este, por sua vez, era um conglomerado de montanhas que se estende por mais ou menos 30 quilômetros, desde o Vale de Jezreeel até um promontório, sobre o mar Mediterrâneo. Este monte apresentava significado sagrado para o povo israelita, assim como para os fenícios. Era recoberto por uma vegetação rica e por isso era símbolo de fecundidade.

Isaías 35:2: Abundantemente florescerá, e também jubilará de alegria e cantará; a glória do Líbano se lhe deu, a excelência do Carmelo e Sarom; eles verão a glória do Senhor, o esplendor do nosso Deus. 

Jeremias 46:18: Vivo eu, diz o rei, cujo nome é o Senhor dos Exércitos, que certamente como o Tabor entre os montes, e como o Carmelo junto ao mar, certamente assim ele virá. 

Quando o servo de Elias foi olhar para o céu, não conseguia ver nenhum sinal de que haveria chuva ali, naquele lugar. Entretanto, no coração do profeta do Senhor, cheio de fé, havia uma esperança de que suas orações seriam atendidas e o milagre da chuva iria acontecer. Isso porque ele acreditava que Deus seria capaz de realizar tal proeza.

Mateus 19:26: E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.

Lucas 1:37: Porque para Deus nada é impossível. 

Marcos 9:23: E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê.

Salmos 27:14: Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no Senhor.

O profeta Elias chamou seu servo e o pediu para observar o céu no sentido do mar mediterrâneo. Porém, nada se via, além, apenas de céu azul e limpo, nada que pudesse caracterizar uma possibilidade de chuva. O profeta sabia, no entanto, que não poderia perder a fé, nem desistir. Por isso, insistiu e enviou mais uma vez seu servo para ver o céu. Isso se repetiu por sete vezes. Elias nos mostra que é necessário perseverarmos até o fim, para podermos obter a vitória.

Mateus 24:13: Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.

Apocalipse 3:21: Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.

O seu servo, contudo, tornou por sete vezes ao local. Nas escrituras vemos esse número sete por diversas vezes, principalmente quando quer se remeter a algo completo, integral. Vemos que Elias se entregou completamente em oração. Observamos, ainda, que ele apresentava três objetivos: restaurar o altar do Senhor, combater as falsas religiões (principalmente as que serviam a Baal e a Asera) e para que a chuva caísse sobre a terra.

Esse derramar de chuvas também apresenta um significado simbólico, pois no Antigo Testamento pode ser comparado a um derramamento de Espírito. 

Oséias 6:3: Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra. 

Joel 2:23-29: E vós, filhos de Sião, regozijai-vos e alegrai-vos no Senhor vosso Deus, porque ele vos dará em justa medida a chuva temporã; fará descer a chuva no primeiro mês, a temporã e a serôdia.
E as eiras se encherão de trigo, e os lagares trasbordarão de mosto e de azeite.
E restituir-vos-ei os anos que comeu o gafanhoto, a locusta, e o pulgão e a lagarta, o meu grande exército que enviei contra vós.
E comereis abundantemente e vos fartareis, e louvareis o nome do Senhor vosso Deus, que procedeu para convosco maravilhosamente; e o meu povo nunca mais será envergonhado.
E vós sabereis que eu estou no meio de Israel, e que eu sou o Senhor vosso Deus, e que não há outro; e o meu povo nunca mais será envergonhado.
E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões.
E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito.

A oração de Elias e o confronto contra os seguidores de Baal nos faz perceber que há uma interseção ao povo de Deus. São três aspectos relacionados nesta interseção: a restauração do culto ao verdadeiro Deus, a batalha contra as fortalezas demoníacas que combatiam naquela região e no momento da oração; e para o avivamento do povo, mediante o derramar do Espírito.

44 E sucedeu que, à sétima vez, disse: Eis aqui uma pequena nuvem, como a mão de um homem, subindo do mar. Então disse ele: Sobe, e dize a Acabe: Aparelha o teu carro, e desce, para que a chuva não te impeça.

Israel, no período em que Elias era o profeta, estava passando por um momento muito difícil. Lá, existia muita idolatria e a desobediência era tremenda. Além de tudo, a estiagem de chuvas assolava a nação, a seca estava presente em toda região. Por consequência disso, havia muita fome. Mesmo sendo profeta do Senhor, Elias era acusado pelo rei Acabe de ser o responsável pela seca e o perturbador de Israel. Isso porque Elias falou:

1 Reis 17:1: Então Elias, o tisbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Vive o SENHOR Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá, senão segundo a minha palavra.  

O contrário dessas acusações é que de fato era o motivo pelo qual ocorriam essas coisas. Elias mostrou que por conta da desobediência do rei e do povo que Israel estava perecendo.

Colossenses 3:6: Pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.

Na última vez, seu servo traz uma notícia, que para muitos não é animadora, pois se tratava da presença de uma pequena nuvem, que, segundo ele, era do tamanho da palma da mão de um homem. Porém, para quem tem fé qualquer possibilidade de o milagre acontecer é mais que o suficiente.

 

Então Elias mandou seu servo avisar a Acabe que ele deveria ir embora o mais rápido possível, para que a chuva não o alcançasse. Pois, aquela pequena nuvem cresceria e enxeria o céu de nuvens maiores e carregadas de água e esta água cairia na terra seca. Por causa disso, o povo começou a se alegrar e glorificar a Deus pelo que estava por vir, a chuva de bênção iria cair sobre Israel.

45 E sucedeu que, entretanto, os céus se enegreceram com nuvens e vento, e veio uma grande chuva; e Acabe subiu ao carro, e foi para Jezreel. 

Jezreel era uma cidade que estava situada no vale de Jezreel que ficava próximo de Gilboa. Alguns reis de Israel a usavam como uma segunda capital.

2 Reis 8:29: Então voltou o rei Jorão para se curar, em Jizreel, das feridas que os sírios lhe fizeram em Ramá, quando pelejou contra Hazael, rei da Síria; e desceu Acazias, filho de Jeorão, rei de Judá, para ver a Jorão, filho de Acabe, em Jizreel, porquanto estava doente. 

Então, Elias ora ao Senhor demonstrando humildade e submissão, ele literalmente desceu o rosto em pó. Essa atitude demonstra humildade e reconhecimento de que Deus é maior em nossas vidas. Somente com essa atitude é que herdaremos o reino de Deus.

Mateus 18:4: Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus.

Mateus 5:3: Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;

Devemos aprender a sermos humildes com o próprio Senhor Jesus.

Mateus 11:29: Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.

46 E a mão do Senhor estava sobre Elias, o qual cingiu os lombos, e veio correndo perante Acabe, até à entrada de Jizreel.

 2 Reis 4:29: E ele disse a Geazi: Cinge os teus lombos, toma o meu bordão na tua mão, e vai; se encontrares alguém não o saúdes, e se alguém te saudar, não lhe respondas; e põe o meu bordão sobre o rosto do menino. 

Elias, depois da batalha contra os profetas avisa ao rei Acabe que já escutava o ruído de muita chuva. Era só a fé do profeta. Tanto que ele manda o rei comer e beber no sentido de se preparar para o que viria, ou seja, muita chuva.

Neste estudo sobre Elias e a pequena nuvem aprendemos mais uma coisa: que é necessária muita fé para vermos as ações de Deus acontecerem em nossas vidas.

Hebreus 11:1: Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem. 

Hebreus 11:6: Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.

Ele sobe ao monte do cume Carmelo para falar com Deus sobre a necessidade do povo que perecia diante de tanta seca. Mesmo Elias tendo sofrido várias perseguições e ameaças de morte, ele apresenta a Deus o sofrimento da nação.

Mesmo Elias sendo perseguido, não desanimou e nem deixou suas adversidades atrapalharem sua fé. Ele também não permitiu que a idolatria do povo e sua inclinação por Baal fossem empecilho para ele clamar a Deus pelo seu povo e ajudá-los em oração. Mais uma coisa aprendemos, devemos amar uns aos outros.

João 13:34: Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. 

João 15:17: Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros. 

1 João 2:10: Aquele que ama a seu irmão está na luz, e nele não há escândalo.

O mal não pode ser pago com mal, pois isso não faz bem. 

Romanos 12:17: A ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas, perante todos os homens.

Romanos 12:21: Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem. 

Mateus 6:23: Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas!

Muitas vezes queremos que o milagre venha o mais rapidamente possível, mas até com Elias, o milagre ocorreu na hora certa. O que podemos compreender com isso é que não devemos desistir nunca, temos que ter fé sempre, pois o justo vive da fé.

Hebreus 10:38: Mas o justo viverá pela fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.

CONCLUSÃO 

Examinando a passagem que trata de Elias e a pequena nuvem, aprendemos que mesmo diante de muitas dificuldades e adversidades ou até de uma situação praticamente impossível de ser resolvida, a oração perseverante de um Justo é atendida pelo Senhor. Vimos, também, que Elias orou pela nação, pelos seus irmãos que muito os perseguia. Isso faz refletirmos sobre a necessidade de cumprirmos o mandamento do Senhor, de amarmos uns aos outros, de orarmos pelos nossos irmãos e inimigos, mesmo que estes nos persigam.

Espero que este estudo sobre Elias e a pequena nuvem tenha sido de grande valia para sua vida espiritual. Que Deus te abençoe!

Para mais estudos como o de Elias e a pequena nuvem, acesse a home de nosso site, aqui.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *