JEREMIAS NA CISTERNA

Compartilhe este estudo bíblico

O QUE VEREMOS NO ESTUDO SOBRE JEREMIAS NA CISTERNA 

No estudo sobre Jeremias na cisterna examinaremos um texto bíblico que mostra todo o contexto de desprezo da nação de Judá em relação a mensagem de Deus, transmitida pelo profeta Jeremias. Veremos a perseguição ao profeta e os motivos que levaram a Jeremias a se tornar prisioneiro. Também contemplaremos a providência de Deus para com seu servo que foi libertado.

 

TEXTO: Jeremias 38: 1-13

 

1-Ouviram, pois, Sefatias, filho de Matã, e Gedalias, filho de Pasur, e Jucal, filho de Selemias, e Pasur, filho de Malquias, as palavras que anunciava Jeremias a todo o povo, dizendo:
2-Assim diz o Senhor: O que ficar nesta cidade morrerá à espada, de fome e de pestilência; mas o que sair aos caldeus viverá; porque a sua alma lhe será por despojo, e viverá.
3-Assim diz o SENHOR: Esta cidade infalivelmente será entregue na mão do exército do rei de babilônia, e ele a tomará.
4-E disseram os príncipes ao rei: Morra este homem, visto que ele assim enfraquece as mãos dos homens de guerra que restam nesta cidade, e as mãos de todo o povo, dizendo-lhes tais palavras; porque este homem não busca a paz para este povo, porém o mal.
5-E disse o rei Zedequias: Eis que ele está na vossa mão; porque o rei nada pode fazer contra vós.
6-Então tomaram a Jeremias, e o lançaram na cisterna de Malquias, filho do rei, que estava no átrio da guarda; e desceram a Jeremias com cordas; mas na cisterna não havia água, senão lama; e atolou-se Jeremias na lama.
7-E, ouvindo Ebede-Meleque, o etíope, um eunuco que então estava na casa do rei, que tinham posto a Jeremias na cisterna (estava, porém, o rei assentado à porta de Benjamim),
8-Logo Ebede-Meleque saiu da casa do rei, e falou ao rei, dizendo:
9-Ó rei, senhor meu, estes homens agiram mal em tudo quanto fizeram a Jeremias, o profeta, lançando-o na cisterna; de certo morrerá de fome no lugar onde se acha, pois não há mais pão na cidade.
10-Então deu ordem o rei a Ebede-Meleque, o etíope, dizendo: Toma contigo daqui trinta homens, e tira a Jeremias, o profeta, da cisterna, antes que morra.
11-E tomou Ebede-Meleque os homens consigo, e foi à casa do rei, por debaixo da tesouraria, e tomou dali uns trapos velhos e rotos, e roupas velhas, e desceu-os a Jeremias na cisterna por meio de cordas.
12-E disse Ebede-Meleque, o etíope, a Jeremias: Põe agora estes trapos velhos e rotos, já apodrecidos, nas axilas, calçando as cordas. E Jeremias assim o fez.
13-E puxaram a Jeremias com as cordas, e o alçaram da cisterna; e ficou Jeremias no átrio da guarda.

 

 

O PROFETA JEREMIAS

 

Jeremias era filho de sacerdote e nasceu em uma aldeia chamada Anatote, que ficava a aproximadamente uma légua de Jerusalém. Neste período reinava Manassés. Se tornou mensageiro do Senhor ainda muito jovem. Com apenas 13 anos já era uma voz profética de Deus, já durante o reinado de Josias. Ele foi escolhido desde antes do seu próprio nascimento.

 

Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta (Jeremias 1:5).

 

Assim como foi com Jeremias, é conosco. O Senhor é quem nos escolhe primeiro, quem nos capacita e quem nos ama.

 

Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro (1 João 4:19).

 

Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda (João 15:16).

 

A tarefa sacerdotal de Jeremias era um pouco diferente da dos demais profetas, pois era incumbido de levar duras verdades ao povo do Senhor, que andava muito fora de seus preceitos e de suas leis. Vale destacar que Jeremias transmitia apenas aquilo que Deus falava para ele. Diferentemente de alguns que se dizem profetas, ele sabia que a inspiração não era dele, mas sim, do Espírito Santo de Deus.

 

Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo (2 Pedro 1:21).

 

Outra coisa importante é que além de ser obediente ao Senhor, Jeremias presava pela verdade. Enquanto crentes, precisamos ser verdadeiros, falar sempre a verdade.

 

Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna (Mateus 5:37).

 

Mas, sobretudo, meus irmãos, não jureis, nem pelo céu, nem pela terra, nem façais qualquer outro juramento; mas que a vossa palavra seja sim, sim, e não, não; para que não caiais em condenação (Tiago 5:12).

Por causa desse compromisso para com Deus e com sua verdade, acabou sendo perseguido. Até tentativa de morte contra sua vida, sofreu. Mesmo diante disso, não parou de anunciar a mensagem de Deus, pois tinha certeza de que estava fazendo a coisa certa.

 

Infelizmente, não são poucos os que não tem compromisso com a verdade de Deus e acabam se corrompendo por causa disso. Mas, o Senhor sempre levantará os seus para que sua verdade continue sendo dita. Assim, Ele pode chamar jovens, adultos e crianças. Esteja atento, que você pode ser chamado. E se você quer receber esse chamado, tenha fé. Porque sem fé, é impossível agradar a Deus e o justo vive da fé.

 

Mas o justo viverá pela fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele (Hebreus 10:38).

 

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem (Hebreus 11:1).

 

Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam (Hebreus 11:6).

Jeremias não era um profeta que se utilizava de manipulação ou enganação para que as pessoas o respeitassem ou gostassem dele. Hoje sabemos que alguns profetas usam técnicas especiais para chamar a atenção das pessoas, para acreditarem que eles estão trazendo uma mensagem de Deus. Ele não era um profeta de profetadas, que são aquelas gerais, que pode atingir qualquer um. Pelo contrário, ele falava tudo de forma direta e específica, sem rodeios, pois era direto do céu.

 

Quando uma profecia não vem de Deus, e sim do homem, o que prevalece é o ego e o engrandecimento pessoal, tanto de quem transmite, quanto de quem ouve, por isso, nunca se cumpre. Pelo contrário, quando é de Deus, atinge o coração e se cumpre. Por isso, quando não agrada a quem escuta, o profeta acaba sem crédito e sofrendo perseguição. O fato é que aquele que usar o nome do Deus dos exércitos em profecia que não provem dele, esse pagará:

 

Porém o profeta que tiver a presunção de falar alguma palavra em meu nome, que eu não lhe tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá (Deuteronômio 18:20).

 ANALISANDO O TEXTO

 

Para aprofundarmos um pouco mais nos detalhes do estudo “Jeremias na cisterna”, vamos observar o conteúdo do texto para compreendermos os fatos. Vamos lá!

 

No versículo 1, vemos que Jeremias falava ao povo sobre as coisas que Deus tinha mandado dizer. No momento em que anunciava as palavras proféticas, estavam presentes homens importantes do rei Zedequias: os príncipes, sacerdotes e chefes do exército.

No versículo seguinte, observamos a mensagem de Deus à nação de Judá. Ele já tinha avisado que se o povo continuasse nessa desobediência, não mais ouviria sua oração nem seu clamor. Antes, morreriam pela espada, pela fome e pela peste.

 

Jeremias 14:12: Quando jejuarem, não ouvirei o seu clamor, e quando oferecerem holocaustos e ofertas de alimentos, não me agradarei deles; antes eu os consumirei pela espada, e pela fome e pela peste.

 

Jeremias 21:9: O que ficar nesta cidade há de morrer à espada, ou de fome, ou de pestilência; mas o que sair, e se render aos caldeus, que vos têm cercado, viverá, e terá a sua vida por despojo.

As palavras de Jeremias não eram bem aceitas pelos soldados nem pelo rei, porque feria a moral e o espírito de luta. Assim, não conseguiriam lutar contra os babilônios.

Vemos no versículo 3, que as palavras do profeta transmitiam a vontade de Deus para com a nação de Judá, mesmo o povo não se despertando para a compreensão da mensagem. Aliás, eles nem sequer acreditavam no que o profeta falava. Por isso, Deus os castigaria.

 

Jeremias 21:10: Porque pus o meu rosto contra esta cidade para mal, e não para bem, diz o SENHOR; na mão do rei de babilônia se entregará, e ele queimá-la-á a fogo.

Vemos, no versículo 4, que os príncipes, homens importantes do rei, queriam que Jeremias morresse, pois, segundo eles, as palavras do profeta eram maldosas e enfraqueciam o povo.

 

Jeremias 26:11: Então falaram os sacerdotes e os profetas aos príncipes e a todo o povo, dizendo: Este homem é réu de morte, porque profetizou contra esta cidade, como ouvistes com os vossos ouvidos.

O verso 5 mostra que o próprio rei Zedequias não quis impedir a vontade de seus sacerdotes, príncipes e chefes. Ele deixou a vida de Jeremias à sorte desses homens. O uso da frase: “nada posso contra vós outros”, reflete o que realmente se passava naquela nação, uma situação de caos, desgoverno e anarquia. Além disso, o rei temia o que estes homens poderiam fazer, visto que eles eram bastante influentes e detinham certo poder.  

O fato é que esta atitude mostra que o rei não tinha mais moral para governar uma nação cujo Deus é o Senhor dos exércitos. Essa falta de caráter ficou evidenciada durante todo período em que esteve no trono.

 

No versículo 6, vemos que por causa da vontade desses homens influentes, o rei permitiu que Jeremias fosse colocado na cisterna. Lá, ele ficou literalmente atolado na lama, comendo apenas do pão que jogavam. Esse era seu alimento, apenas um pão por dia.

 

Jeremias 37:21: Então ordenou o rei Zedequias que pusessem a Jeremias no átrio da guarda; e deram-lhe um pão cada dia, da rua dos padeiros, até que se acabou todo o pão da cidade; assim ficou Jeremias no átrio da guarda.

 

Essa cisterna era uma espécie de calabouço, de aproximadamente um metro de largura, utilizada como reservatório para a água da chuva. Eram muito utilizadas em períodos de inverno chuvosos. Essa água era guardada para o abastecimento no verão, quando pouco chovia.

 

Imagine o quanto sofreu Jeremias, estando nesta cisterna. A perseguição era tremenda. Ocorria, especialmente, por causa do que Jeremias pregava, ou seja, a justiça de Deus.

 

Assim como Jeremias, muitos serão perseguidos e odiados por serem obedientes ao Senhor.

 

Mateus 10:22: E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.

Também, a exemplo de Jeremias poderemos sofrer perseguições dos nossos próprios irmãos, dos que estão conosco.

 

Atos 20:30: E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si.

No versículo 7 observamos a providência da parte de Deus para com o profeta. Um eunuco que estava na casa do rei, foi quem se preocupou com Jeremias. Seu nome era Ebede-Meleque cujo significado é “servo do rei”.

 

Naquela época muitos homens eram designados, especificamente, para o serviço do rei. Eles eram castrados para poderem cuidar do harém. Tempos depois, o ofício de eunuco ficou tão importante dentro das cortes reais que o termo eunuco passou a ser também utilizado para qualquer homem que vivesse do trabalho no palácio e que fosse de alta confiança do rei. Por isso, não é possível, ao certo, saber se Ebede-Meleque era eunuco de verdade.

 

Ebede-Meleque se preocupou com o profeta Jeremias, demonstrando um sentimento de compaixão que não foi visto entre os próprios conterrâneos do profeta. Além disso, demonstrou uma coragem exemplar, quando enfrentou os príncipes do rei, os acusadores de Jeremias.

 

Devemos aprender, com este estudo sobre Jeremias na cisterna, que o verdadeiro Cristão deve ter compaixão para com o próximo, principalmente se este for uma pessoa maltratada. Não importa o que a maioria possa dizer, devemos procurar fazer o que é certo aos olhos de Deus.

 

Se examinarmos a bíblia, veremos que esse ato bondoso do eunuco não foi esquecido por Deus. Ele foi poupado depois que Jerusalém foi dominada.

 

Jeremias 39:16-18: Vai, e fala a Ebede-Meleque, o etíope, dizendo: Assim diz o Senhor dos Exércitos, Deus de Israel: Eis que eu trarei as minhas palavras sobre esta cidade para mal e não para bem; e cumprir-se-ão diante de ti naquele dia.
A ti, porém, eu livrarei naquele dia, diz o Senhor, e não serás entregue na mão dos homens, a quem temes.
Porque certamente te livrarei, e não cairás à espada; mas a tua alma terás por despojo, porquanto confiaste em mim, diz o Senhor.

Neste versículo vemos uma menção a “porta de Benjamim”. Podemos supor que alguma causa estava sendo julgada, visto que os casos litigiosos eram discutidos à porta da cidade.

 

2 Samuel 15:2: Também Absalão se levantou pela manhã, e parava a um lado do caminho da porta. E sucedia que a todo o homem que tinha alguma demanda para vir ao rei a juízo, o chamava Absalão a si, e lhe dizia: De que cidade és tu? E, dizendo ele: De uma das tribos de Israel é teu servo;

 

Nos versículos do 8 ao 13, veremos o diálogo de Ebede-Meleque com o rei. Onde o eunuco intercede pela vida do profeta e consegue convencer de sua retirada da cisterna. Ele providenciou todas as coisas, levou homens e apanhou trapos de roupas para poder resgatar o profeta. Isso sim é que é ser convicto, corajoso e bondoso.

 

A PERSEGUIÇÃO A JEREMIAS

A perseguição a Jeremias se deu, sobretudo, porque o povo de Judá não queria acreditar que a vontade de Deus seria que seu povo se entregasse aos caldeus. Essa foi uma mensagem clara de Deus a Jeremias e deste para ao povo. Essa seria a única maneira do povo sobreviver. Se o povo assim não fizesse, muitos iriam morrer pela espada e os que ficassem por não terem sido levados cativos, morreriam de fome e por causa das pestes.

 

O rei Zedequias não queria aceitar essa profecia de Jeremias e, por isso, permitiu que seus oficiais o lançassem em uma cisterna. Talvez o rei o tenha colocado nessa situação para que pudesse recuar e mudar sua profecia. Mas, como ele era obediente a Deus, continuou a dizer que a Babilônia iria conquistar Jerusalém.

 

Assim como hoje, as pessoas daquela época não aceitavam as mensagens que não lhes beneficiavam ou que não lhes eram convenientes. Será que isso já não ocorreu com você? Será que já não ficou chateado porque Deus falou, por meio de um vaso, algo que não lhe agradou?

 

Zedequias acreditava que era invencível e que o templo de Deus os protegia de qualquer inimigo. A questão é que eles não estavam sob a vontade de Deus. Eles já haviam negligenciado a muito tempo os preceitos do Senhor. E isso era denunciado o tempo todo pelos profetas como Jeremias. O povo achava que o discurso de Jeremias era de uma pessoa covarde e que não tinha amor à pátria.

 

JEREMIAS NO FUNDO DO POÇO

 

Quando se encontrava, literalmente, no fundo do poço, Jeremias se deparou com uma situação que talvez o fizesse refletir sobre o fato de estar naquele lugar, mesmo fazendo tudo certo. Será que isso já não aconteceu com você? Também creio que mesmo diante desse lampejo de questionamento, Jeremias logo teve seu coração refrigerado pelo Espírito de Deus. Ele sabia que estava fazendo a coisa certa. Também sabia que o justo pode até passar por perseguições e aflições, mas nunca sozinho, pois o Senhor sempre está por perto.

 

Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo (João 16:33).

 

Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou (Romanos 8:37).

 

Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã (Salmos 30:5).

 

Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará (Salmos 37:5).

 

CONCLUSÃO

Deus nunca deixa um justo desamparado. Não foi diferente com Jeremias. O senhor ao etíope eunuco, que foi até o rei Zedequias, demonstrou que não permitiria que nada de mal ocorresse com seu profeta. Essa interseção a um justo ocorre todas as vezes que for necessário ocorrer um livramento para com um filho de Deus. Inclusive, a maior interseção enviada por Deus foi a realizada pelo seu filho Jesus.

Portanto, não importa se os teus irmãos não te ajudam, Deus pode usar até um estrangeiro que com sensibilidade e compaixão.

 

Os da casa de Judá apenas condenavam o homem de Deus. Isso, infelizmente ocorre com frequência na casa do Senhor. A maioria das pessoas que se afastam da igreja, são as que sofreram perseguições dos seus próprios irmãos, que apontam e julgam a todo momento.

 

Outra lição que fica com este estudo sobre Jeremias na cisterna é que devemos ser convictos quando se trata das coisas de Deus. O etíope conseguiu convencer o rei de que estava cometendo um erro em deixar Jeremias no poço. Foi então que retiraram o profeta de Deus. Contudo, ainda assim o rei queria que Jeremias mudasse sua profecia, por isso o chamou. Mas, como um homem convicto, Jeremias manteve a profecia que veio da parte de Deus. Aprendamos com isso.

 

Infelizmente, o rei não deu ouvidos ao que Jeremias falou, por isso acabou vendo a destruição de Judá e sendo cumprida tudo que Deus havia revelado ao seu profeta. Que isso sirva de lição para cada um de nós. Aprendamos a ouvir e obedecer a voz de Deus para que não venhamos a perecer.

 

Espero que este estudo sobre Jeremias na cisterna tenha sido de grande valia para sua vida espiritual. Que Deus te abençoe!

 

Para mais estudos como o de Jeremias na cisterna acesse a home do nosso site, aqui.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *