o jovem rico

O JOVEM RICO

Compartilhe este estudo bíblico

O QUE VEREMOS NO ESTUDO SOBRE O JOVEM RICO

 

Neste estudo aprenderemos algumas lições relacionadas a uma das passagens mais conhecidas da bíblia, a do jovem rico. Por meio do exame das escrituras, tendo por base esse texto do jovem rico, aprenderemos que o verdadeiro valor cristão não se encontra nos bens que possui ou na posição social que ocupa. Pelo contrário, muitos dos que possuem riquezas e status social terão muita dificuldade para entrar no reino de Deus, diferentemente de muitos que não apresentam riquezas ou reconhecimento, mas dão lugar ao que é mais importante em suas vidas, a presença de Deus. Vamos iniciar nosso estudo sobre o jovem rico lendo o seguinte texto.

TEXTO: Lucas 18:18-30

18-E perguntou-lhe um certo príncipe, dizendo: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna?
19-Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus.
20-Sabes os mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe.
21-E disse ele: Todas essas coisas tenho observado desde a minha mocidade.
22-E quando Jesus ouviu isto, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; vem, e segue-me.
23-Mas, ouvindo ele isto, ficou muito triste, porque era muito rico.
24-E, vendo Jesus que ele ficara muito triste, disse: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!
25-Porque é mais fácil entrar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus.
26-E os que ouviram isto disseram: Logo quem pode salvar-se?
27-Mas ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.
28-E disse Pedro: Eis que nós deixamos tudo e te seguimos.
29-E ele lhes disse: Na verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou pais, ou irmãos, ou mulher, ou filhos, pelo reino de Deus,
30-Que não haja de receber muito mais neste mundo, e na idade vindoura a vida eterna.

Ao término da leitura deste texto já observamos que Jesus aproveita a situação para ensinar a muitos que estão naquele lugar. Quando o jovem rico o chama de bom mestre, Ele já nos mostra duas coisas, primeiro, a necessidade de sermos humildes, pois Ele mesmo sendo o próprio Deus atribuiu a bondade apenas ao Pai.

 

Mateus 5:5: Bem-aventurados os humildes, pois eles receberão a terra por herança.

 

Filipenses 2:6: Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus.

A segunda, é e mostrar que Deus é quem é o detentor de toda benevolência.

 

Salmos 25:8: Bom e justo é o Senhor; por isso mostra o caminho aos pecadores.

 

Salmos 116:5: O SENHOR é benevolente e justo, nosso Deus é misericordioso.

 

Quando o jovem rico pergunta a Jesus o que ele deve fazer para herdar a vida eterna, o messias responde que devem ser cumpridos os mandamentos, ou seja, a palavra de Deus deve ser seguida por quem almeja a salvação.

 

João 14:23: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.

 

A resposta do jovem rico foi de que cumpre todos os mandamentos desde a mocidade. A questão é que ele mais parecia ser um legalista ou religioso, pois não atentava para o que de fato era importante.

 

Infelizmente, essa é uma realidade que está bastante presente em várias igrejas, muitos que se dizem santos e cumpridores da palavra, na realidade são apenas religiosos que nem se quer conseguem enxergar o principal, que é amar a Deus de todo o coração, ajudar quem realmente está necessitado e não se apegar aos seus bens materiais como seu maior tesouro.

 

Esse fato é tão comprovado nesta passagem, que o jovem rico, ao ouvir do Senhor que ele deveria se desapegar de seus bens, acabou indo embora bastante triste. Com certeza ele pensou que sem suas riquezas não seria mais reconhecido ou perderia sua posição. Mas, será que vale apena perder a salvação para permanecer rico aqui na terra?

 

Marcos 8:36: Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?

Além do que já vimos, Jesus mostra nesta passagem do jovem rico, a diferença entre riqueza e pobreza, os ricos e os pobres. Essa diferença, de acordo com a explicação do mestre, leva em consideração vários aspectos que implicam diretamente na entrada ao reino dos céus.

 

Para podermos compreender melhor as diferenças no âmbito da salvação, é necessário examinarmos as escrituras para sabermos o que dizem sobre riqueza e pobreza.

Levando-se em consideração os costumes judeus daquela época, podemos compreender que a riqueza seria um sinal de prosperidade de Deus, ou seja, Ele abençoava o indivíduo que era rico.

 

Já a pobreza era considerada uma maldição ou ausência de Deus na vida de uma pessoa, isto é, quem não prosperava financeiramente estava em grande pecado ou não tinha fé suficiente para que Deus pudesse o abençoar.

 

Por Jesus não ser rico, os fariseus escarneciam do Senhor. Eles acreditavam que se o mestre fosse quem realmente dizia ser, não seria um simples galileu de Nazaré. No entanto, quando examinamos as escrituras percebemos que não é a riqueza que mostra que somos bem-aventurados.

 

Lucas 6:20: E, levantando ele os olhos para os seus discípulos, dizia: Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus.

Para muitos o dinheiro é tão importante que se torna praticamente um deus, sem o qual conseguem viver. Estes fazem tudo para se manterem ricos, se tornam servos e escravos dessa condição. Por isso, nesta passagem do jovem rico, o Senhor Jesus explicava sobre a dificuldade de um rico entrar no reino de Deus.

 

Mateus 19:23: Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que é difícil entrar um rico no reino dos céus.

 

Ele também dizia que não dá para servir a dois senhores. Neste caso, ou você serve ao Senhor ou ao dinheiro.

 

Lucas 16:13: Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.

A busca incessante pela riqueza acaba até se tornando uma idolatria. Como sabemos, isso é demoníaco. Quando desviamos nossa atenção do Senhor na busca enlouquecedora por riquezas, na realidade estamos fazendo o que Satanás quer.

 

Uma outra preocupação relacionada a essa adoração ao “deus dinheiro” é a avareza, ou seja, quando a idolatria está em um nível tão alto que as pessoas não são capazes de ajudar alguém, porque não conseguem se desfazer de uma minúscula parte de sua riqueza.

 

Colossenses 3:5: Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a fornicação, a impureza, o afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria;

Exatamente por causa da influência demoníaca relacionada a adoração ou idolatria a riqueza, muitos que estão nesta busca para se tornarem ricos acabam sendo escravos. Jesus alertava, no versículo 24 da passagem sobre o jovem rico, que a riqueza se constituía como sendo um obstáculo para a salvação.

 

Outra coisa a destacar é que as pessoas que têm a riqueza como seu Deus, pensam que são autossuficientes, que não precisam de ninguém, muito menos de Deus. E é por estarem afastados do Senhor que se tornam pessoas infelizes, que procuram preencher seus vazios com coisas ilícitas, proibidas e que satisfazem os desejos carnais.

 

Algumas dessas pessoas até que se dizem cristãs ou que acreditam em Deus, mas estão tão mergulhadas neste mundo de perdição que não conseguem sair.

 

Lucas 8:14: E a que caiu entre espinhos, esses são os que ouviram e, indo por diante, são sufocados com os cuidados e riquezas e deleites da vida, e não dão fruto com perfeição.

 

Temos que deixar bem claro que a intenção deste estudo não é de impedir a prosperidade financeira de ninguém ou de afirmar que quem é rico não vai para o céu. Estamos apenas alertando, mediante as palavras de Jesus, que a busca pela riqueza não deve ser seu objetivo maior nem uma ambição de vida.

 

1 Timóteo 6:9-10:  Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína.

O cristão que está mais preocupado em ajuntar bens materiais é porque não está preocupado com sua salvação. Quem é verdadeiramente convertido se preocupa em olhar para o alto, onde se encontra o Senhor.

 

Colossenses 3:1: Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus.

 

Temos que nos apegar à novidade de vida que é a de estar vivendo em Cristo. Não devemos fazer como a esposa de Ló que teve uma grande chance de mudar de vida, deixando de lado as coisas velhas, abandonado os prazeres antigos. Mas, infelizmente, não conseguiu deixar de olhar para traz.

 

O cristão verdadeiro deve seguir para o alvo que é Cristo, com quem encontraremos a verdadeira riqueza: a sua misericórdia e o seu amor que nos conduz a salvação.

 

João 3:16: Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.

Efésios 2:4-5: Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida com Cristo quando ainda estávamos mortos em transgressões – pela graça vocês são salvos.

Outra coisa que podemos tratar neste contexto é a ajuda aos necessitados. Jesus deixa bem claro para o jovem rico que ele necessitava se desapegar de sua riqueza para poder ajudar quem necessitava.

 

Mateus 6:19,20: Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.

 

Lucas 12:33: Vendei o que tendes, e dai esmolas. Fazei para vós bolsas que não se envelheçam; tesouro nos céus que nunca acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói.

 

O crente não pode se apegar a riqueza quando a obra precisa de ajuda. Devemos ser ricos em boas obras.

 

Efésios 4:28: Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade.

 

1 Timóteo 6:17: Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos.

Por mais que as pessoas sem riquezas sejam esquecidas pela sociedade ou não sejam valorizadas pelo fato de não terem a possibilidade de possuírem uma posição social mais destacada, Jesus nunca os abandonou. Pelo contrário, o Senhor sempre nos instruiu a evangelizar os pobres, por isso devemos seguir essa orientação.

 

Lucas 4:18: O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração.

 

Mateus 5:3: Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus.

As pessoas pobres e humildes são os aflitos que clamam por ajuda e socorro do Senhor. E mesmo passado por necessidades, são eles os mais fiéis a Deus.

Por mais que, aparentemente, os ricos sejam os mais fortes, importantes e reconhecidos aqui na terra, devemos lembrar que o livramento de todo o sofrimento, opressão e injustiça virá de Deus para os pobres e estes gozarão da eternidade e serão os verdadeiros fortes.

 

Lucas 6:21: Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis fartos. Bem-aventurados vós, que agora chorais, porque haveis de rir.

Também é importante frisar que independentemente da situação ou do problema que qualquer um esteja passando, seja ele pobre ou rico, o Senhor pode ajudar. No versículo 27 desta passagem sobre o jovem rico, observamos que algumas pessoas perguntam como podem se salvar e Jesus mostra que não é pelo homem, pois isso seria impossível.

 

Mateus 19:26: E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.

 

Lucas 1:37: Porque para Deus nada é impossível.

CONCLUSÃO

 

Neste estudo sobre o jovem rico aprendemos muitas coisas vindas da parte do nosso Senhor Jesus, sobretudo que a busca desenfreada pela riqueza não deve ser o objetivo principal daquele que almeja um dia morar no céu. Aprendemos com o mestre que não é fácil um rico entrar no reino de Deus, porque muitos consideram o seu dinheiro como seu maior tesouro. Isso não quer dizer, contudo, que quem tenha riquezas não possa compreender o verdadeiro valor da salvação. Embora em pequeno número, existem pessoas ricas que são bondosas e ajudadoras da obra de Cristo.

 

Portanto, amados irmão espero que este estudo tenha sido de grande valia para sua vida espiritual. Que Deus te abençoe.

 

Se você quer mais estudos como este sobre o jovem rico, acesse a home de nosso site, aqui.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *